5 coisas que tive que acostumar nas ESCOLAS daqui

Gente, sei que muitos não tem filhos, mas esse post vai para aqueles que tem, ou que pretender ter... matriculados em escolas aqui no México.

Eu já estou aqui a 9 anos e praticamente não criei meus filhos no Brasil, mas cada vez que me deparo com uma brasileira recém-chegada... e chocada, me sinto feliz de não ser a única que acha que tem coisa meio absurda por aqui. Porque no fundo, por baixo do jeans e sapatilha flat, do rabo de cavalo e batom nude, ainda existe uma mulher capaz, competente e trabalhadora, que sente que há muito tempo perdido nesse mundo escolar com suas super mamães.





1 - Desayunos
     
     Como a Mel ja explicou antes, a mulherada adora um café da manhã. A galera se reúne, em peso, para inúmeros desayunos ao longo do ano, e em cada desayuno decisões importantíssimas, que abalam a ordem mundial, são tomadas: calendário escolar, festivais, fantasias, comidas, aniversário das professoras, quem pode ou não levar isso ou aquilo, e por aí segue.

      Aí você acha que é feita uma reunião dessas por ano e já. Só que não, pelo menos uma por bimestre, aí todas as mamis se encontram super mega maquiadas, de salto alto, em restaurantes finos, todas comem, e como uma boa reunião de negócios, reza a etiqueta que a conversa ocorre depois de toda a parte social, que no caso de 20 mulheres juntas pode demorar de 2 a 3 horas.



2 - Eventos e Festivais.
   
      Eu sei que no Brasil também temos dia das mães, festival de fim de ano. Aqui no hemisfério Norte, o fim do ano não é fim do ano letivo (que ocorre em junho), então temos no mínimo: dia das mães, fim de ano, fim de curso, e como se não fosse bom inventam: dia da avó, festival esportivo, dia de ler um conto na escola, Dia da Bandeira, Dia da Independência (já passei uma manhã vendo crianças vestidas de Cristóvão Colombo, rei e rainha e de barcos, fazendo teatro sobre o dia do descobrimento da América) Dia de Muertos, Haloween, Festival de Primavera, Thanksgiving, Dia del Niño, Quermesse, nas escolas católicas tem eventos ligados a religião, nas escotistas eventos de escoteiros, nas business eventos de vendas, e seguramente esqueci algum. 

      E cada um desses festivais e eventos tem roupa própria, lanche típico do evento, dinheiro para isso ou aquilo, mutirão de mães para decorar o altar de muertos, ou o evento do dia, e já entenderam porque tem tanto desayuno né?      

    3 - Porras
   
      Não estou falando palavrão não, eu sei que a Mel já explicou o que é isso, quem não viu pode ver mais ( aqui.) Mas resumindo echar porras é torcer para alguém. Isso quer dizer que em cada festival, evento, formatura, desfile, etc, tem mães torcendo. Parece normal né? Obvio, se tem evento, tem torcida de mãe coruja.
     
     Pois é, mas nem todas torcidas uma mãe tira do seu lado, na arquibancada, uma caixa de som portátil sem fio com microfone (tipo karaokê), um tambor, e umas 5 matracas dessas bem barulhentas. Faz nosso kit de torcedor de copa do mundo parecer brincadeira de criança. Sem contar que elas colocam camisetas com silk personalizado, em letras garrafais, com o nome da criança, sala, escola, etc. Torcida organizada mesmo, das 8 às 11 da manhã de uma terça, quarta (ou para quem tem mais filhos pode ocupar mais dias da semana), e todas (exceto eu com cara de mau humor, sono e vontade de uma máquina de café expresso portátil) estão maquiadas, de salto alto e vestidas de gala (ok na festa esportiva vão de tênis).





      4 - Vialidade
      
       Aqui vai uma explicação: Vialidade é a ação de deixar e buscar o filho na escola de carro, em uma fila de veículos onde abrem as portas e tiram ou colocam as crianças no carro. Algumas escolas recrutam ajuda extra dos pais para essa ação, pedindo que façam turnos por séries para ver qual classe deverá ter pais ajudando. Eu me recuso terminantemente e sou taxada de grossa, de antipática, antissocial. Sou mesmo. Cada um tem seu limite. E para quem quiser escutar prefiro dedicar meu tempo a um asilo ou orfanato do que a uma ação que uma escola muito bem paga pode arcar.





      5 - Classe publica
     
      Nem todas escolas tem, mas a maioria sim, é um dia, onde os pais vão na sala de aula do filho e o veem trabalhar. Temos que ficar de expectadores bem quietinhos, sem falar nada, e ver seu desempenho, interação e forma de trabalho. Sabemos que há um teatrinho, uma forçadinha de barra, todo mundo coloca seu melhor sorriso e sua melhor atitude, mas ainda assim é gostoso dar uma espiadinha, ver nas entrelinhas daquilo que querem nos mostrar.





O resto acho que não foge muito da rotina de qualquer mãe no Brasil, mas quando se soma a todo demais, parece que não fazemos outra coisa na vida, reunião de pais e mestres (grupal e individual), entrega de boletins, palestras, workshops, feiras de ciências...

A verdade é que também tem muita coisa legal, muita interação, fazemos amizades, vemos nossos filhos interagirem em seu ambiente, mas quem não está acostumado a dedicar um tempo monumental na escola do (os) filhotes, vai se preparando, porque a cultura aqui é essa. Para quem acha legal, pode até encarar o trabalho de mamãe vocal ou mamãe líder (o que conhecemos como representante de classe), mas aí se prepara para ser uma verdadeira malabarista e ser muito política.


E não importa se a mãe trabalha, não trabalha, inclusive nos festivais, vemos os pais, além das mães, em peso aqui, e como em qualquer escola do mundo, a carinha de alegria de uma criança, ao se iluminar encontrando os pais na multidão, não tem preço, e é por isso mesmo que a gente encara toda essa maratona e vira super mae.




Escrito por:









Fabiana Giannotti, brasileira radicada no México desde 2008.. Blogueira, Escritora, Fotografa, Assessora a expatriados. Me considero afortunada por viver no México, aprender a respeitar e conhecer essa bela cultura. Conhecer, adaptar-se, aprender, mudar, acostumar, respeitar, amar o diferente são algumas coisas que descobri nos últimos anos, além do fato que, por mais perfeito que seja o plano tudo pode mudar de repente...

E-book, livro digital – Venda direta: fabiana.giannotti@yahoo.com.br




Serviço Personalizado de Assessoria para mudança ao México:


Se gostou desse texto, comparta com seus amigos, conheça nossa fanpage e faça parte dessa enorme familia brasileira no Mexico!






Share:

2 comentários

  1. Sim,as festas comemorativas nas escolas do Mexico, são bem mais elaboradas que no Brasil, eles realmente entram no clima, com as roupas das crianças e etc.. Vira realmente um espetáculo que é lindo de se ver. Como sempre você e a Mel, escrevem divinamente, parabéns. Saludos Ariane Rojas.

    ResponderExcluir