Sou aposentado, vale a pena viver no México? - 7 Coisas que precisa saber.

Oi pessoal, eu venho com um tema que achei legal investigar, já que recebemos vários pedidos a respeito, do pessoal que está no Brasil, gente que conseguiu se aposentar mas ainda tem muita lenha para queimar e buscam opções bacanas para viver seus últimos anos bem e com qualidade de vida. E claro, sempre vou tentar convencer minha mãe a se mudar para cá e trazer minhas irmãs depois (tendo mãe, tenho o poder rss) se conseguirem se aposentar depois dessas reformas, ainda em vida...

Apesar do brasileiro ser muito apegado a família, diferente dos estadunidenses e muitos europeus, vemos algumas pessoas cujos filhos voaram e não tem muito o que os prenda em nenhum lugar, então quero compartir com vocês algumas pesquisas a respeito de como é viver no México como aposentado, e o que é necessário para que a pessoa possa viver bem aqui.







Primeiro, gostaria de dizer que o México é o país mais atraente do mundo para viver* ao menos para os aposentados estrangeiros  -  o sistema previdenciário aqui é tão ruim como no Brasil, então o lance é estar em boas condições como aposentado chegando aqui, com uma renda boa, ou fazer a previdência privada básica para esse fim. No México só se vive bem da classe média para cima, quem vem com renda baixa não vai encontrar muitas opções que valham a pena a mudança.
Mas, o México?  País de 3º mundo, cheio de problemas sociais? Pois é, apesar dos problemas que existem sim, encontramos em algumas províncias (cidades menores, não capitais) bem localizadas, uma estrutura muito boa, com bons hospitais, bons preços de moradia, clima e um custo de vida menor. Somando-se o fato de que o povo mexicano é muito hospitaleiro, festeiro, não é difícil fazer amizades e começar uma nova vida com melhor qualidade geral.
1)    Visto: 
      Para viajar para o México não é necessário visto, pode-se permanecer aqui por 180 dias como turista, se quiser viver aqui, precisará um visto de permanência, que se obtém por trabalho, estudo, vinculo familiar (pais ou filhos/irmãos menores de idade), ou quem comprove uma renda fixa (aposentadoria ou pensao). Ou seja, se você mora aqui e quer trazer seus pais para viverem aqui, eles podem obter um visto por vinculo familiar, ainda que não sejam aposentados ou que não possam viver de suas rendas. Se você é aposentado, pode obter seu visto ainda que não tenha nenhum familiar aqui. Se é aposentado e pensa em trazer filhos, eles não poderão obter o visto por vinculo familiar, a menos que sejam menores de idade ou comprovadamente incapazes, a menos que arrumem um emprego ou estudem.




2)  Custo emocional: 
      Mudar de país é um exercício de desapego, nao necessariamente as pessoas mais velhas sao mais apegadas, mas naturalmente terao uma história, mais referencias, raízes. O custo desse desapego é relativo para cada um. Eu sugiro fazer um test drive como turista antes, porque a teoria é bem diferente da pratica, vir conhecer a regiao, viver a cultura, comida, idioma, fazer uma verdadeira imersao, de mente e sentidos abertos ao novo.

3)    Cambio/Moeda:
      Os aposentados que vem de países que tem uma moeda mais forte, como o dólar ou euro, vivem muito melhor aqui, mas o real também é mais forte que o peso mexicano, nessa última década alternou de $7.5 a $4.5 pesos o valor de um real. Isso quer dizer que dependendo da época, R$ 1.000.00 valeriam de $ 7.500.00 a $4.500.00 pesos mexicanos. Ou seja, ainda que sua renda seja fixa no Brasil, ela vai variar aqui em relação ao Dólar/Peso e Dólar/Real. Hoje a cotação é em torno de $6.5 pesos por cada real, ou seja, uma pensão em reais vale muito mais aqui, hoje, mas há que estar preparados para eventuais crises da economia que alteram esse fluxo.







4)     Custo de Vida: 


      Como já foi citado em muitos outros posts, Ciudad de Mexico é uma região cara para se viver, saindo de lá, nas cidades citadas abaixo já encontramos opções onde a relação custo/qualidade de vida são mais atraentes, com menos transito, clima agradável, menores valores para o custo de vida geral (moradia, médicos, compras, etc). O custo de vida em um país depende muito de como é seu estilo de vida, nesse post (Quanto custa viver em outro país) falamos um pouco disso, se tiver interesse em fazer uma análise a fundo do seu caso em particular, pode encontrar esse serviço (Click aqui - Custo de Vida), mas via de regra, considerando cidades equivalentes, (tamanho, densidade demográfica, segurança, etc) o custo de vida no México é certa de 20 a 30% menos que no Brasil, desconsiderando os custos de mudança, viagens, etc, considerando apenas “viver”.

    
 5)    Clima / Melhores lugares para viver: 
      O México tem o clima seco durante o período de outubro a maio, na maioria do país, com chuvas no verão e uma variação térmica diária de 15 a 25 graus dependendo do lugar e época do ano, então escolher onde viver é fundamental para encontrar qualidade de vida. As grandes altitudes também podem restringir a saúde, por isso é bom pesquisar. A Ciudad de México por exemplo, não é o melhor lugar do mundo para se viver, com altitude de 2.600 metros, altos índices de poluição atmosférica não é uma boa opção para pessoas mais velhas, mas Cuernavaca, que está do ladinho, também chamada a cidade da eterna primavera, é uma rota muito apreciada para casas de veraneio ou para aposentados, um clima cálido, já baixando a 1500m que ainda é considerada Alta Altitude (para quem tem problemas de pressão alta, cardíacos ou respiratórios é um fator a ser considerado), mas com pouca variação térmica e quente sem ser extremo.


      Queretaro, San Miguel de Alende, Guadalajara e toda zona metropolitana (Zapopan, Tlaquepaque, Chapala, Ajijic) são algumas das melhores cidades a serem consideradas nessa análise, além da região de praia da Riviera Nayarit o Riviera Maya que oferece alta qualidade de vida a seus habitantes.
6)   Saúde:


      Um fator importante para o pessoal que já passou de certa idade é obviamente o custo de saúde. No México, via de regra temos um seguro de gastos maiores, que cobrem as despesas de acidentes ou doenças (a maioria não cobre pré-existentes), e não se pode adquirir depois dos 64 anos de idade, isso quer dizer que se vem com 63 anos, pode obter um seguro e mantê-lo por quanto tempo quiser, se deixa de pagar já não consegue assegurar-se após essa idade. Para que tenham uma ideia, o valor aproximado anual para um seguro bom, de um casal de 60 anos, com cobertura internacional e dentária, custa cerca de $ 102.000 por ano para os 2, mas lembrando que esse plano NAO COBRE consultas e exames preventivos.

      
      O sistema de saúde pública é parecido com o Brasil, depende muito da cidade onde esteja, pode ser bom ou ruim. Ao obter seu visto de permancencia como aposentado pode dar entrada ao Seguro Social daqui. Tenho uma vizinha que trata a filha que tem leucemia em um centro especializado público, com atendimento e tratamento de ponta, embora ela tenha plano de gastos maiores, obtém um melhor atendimento lá. Assim como o INCOR em SP oferece um excelente quadro de médicos e estrutura para casos graves, apesar de não contar com luxos.
     
      Para aqueles que podem pagar consultas particulares, o atendimento é muito melhor do que o atual no Brasil (mesmo com convenio/particular, de acordo com minhas ultimas experiências la). Consultas em especialistas variam entre 300 e 1500 pesos (em cidades menores, no DF é bem mais caro), check-ups são pagos, mas os valores são menores que no Brasil também. Ou seja, tem que ter um dinheiro reservado para fazer seus exames de rotina e consultas. Se tiver problemas crônicos, vale a pena analisar se há médicos especialistas na cidade, custos de tratamentos, etc.

   7) Qualidade de Vida:  
      Para quem tem uma boa renda, o México une o melhor do 1º mundo e a gentileza latina, ainda é possível contratar serviços domésticos muito mais econômicos que no Brasil, há opções de moradia com conforto e segurança (sabendo buscar), hospitais e médicos de ponta com grande influência de USA, a própria cultura mexicana nos remete a um Brasil de muitos anos atrás, com mais influência da instituição “Família”, valores cívicos, etc. Via de regra, em quase uma década aqui, vi o México encantar as muitas pessoas de gerações anteriores, que viveram influência dos boleros, romantismo e galanterias mexicanos nas décadas de 50 a 70.


Se México é uma boa opção para se aposentar? Escolhendo o lugar certo eu acho que sim. México é um país enorme e pode-se encontrar de tudo. Eu traria minha mae e irmãs para cá, sem sombra de duvida, quando se aposentem, pois acho que, dada a história de vida delas poderiam ter mais qualidade de vida aqui que no Brasil, considerando a minha experiência pessoal, claro, cada historia é totalmente diferente...


*https://internationalliving.com/the-best-places-to-retire/


** Cotaçao Seguros Monterrey, assessora ANNA LUISA GUARDADO GARZA


Escrito por:











Fabiana Giannotti, brasileira radicada no México desde 2008.. Blogueira, Escritora, Fotografa, Assessora a expatriados. Me considero afortunada por viver no México, aprender a respeitar e conhecer essa bela cultura. Conhecer, adaptar-se, aprender, mudar, acostumar, respeitar, amar o diferente são algumas coisas que descobri nos últimos anos, além do fato que, por mais perfeito que seja o plano tudo pode mudar de repente...

E-book, livro digital – Venda direta: fabiana.giannotti@yahoo.com.br



Serviço Personalizado de Assessoria para mudança ao México :



Se gostou desse texto, comparta com seus amigos, conheça nossa fanpage e faça parte dessa enorme familia brasileira no Mexico!






Colunista e parceira no blog: viviendoenelmexicomagico.blogspot.mx/

Share:

4 comentários

  1. Realmente o México está cada vez mais atraindo muitos aposentados especialmente estadunidenses;muito se fala da imigração mexicana nos Estados Unidos,mas não se fala que o país azteca é o lugar onde mais gringos vivem fora da gringolândia,estima-se que só na capital Cidade do Mexico e arredores vivam entre 500000 até 1 milhão de americanos,curiosamente muitos ilegais.

    Uma coisa notável neste país é que apesar de possuir um quarto da área do Brasil,tem uma diversidade de climas e paisagens(deserto,selva,montanhas altíssimas com neve,praias,planaltos,planícies)que não temos no nosso país, creio que o brasileiro não faça a menor idéia de como tudo pode mudar de um lugar para o outro em pouco tempo de viagem pelo México,isso creio já foi dito aqui pela Melissa.O Brasil só tem praticamente o tropical e o subtropical.Esta diversidade mexicana tem como resultado que uma pessoa que está prucurando Cancún,pode não se interessar muito por Ciudad de México ou Guadalajara,ou quem procura estas duas últimas pode não gostar muito de uma cidade pequena como Guanajuato por exemplo,por sua vez quem procura estar perto dos EUA vai se sentir melhor em Monterrey ou Chihuahua que em Oaxaca.Penso que os que gostam de história e arquitetura,em busca de vestígios da Nova Espanha ou das culturas pré-hispánicas,se sentirão muito melhor em Puebla ou Teotihuacan do que em qualquer praia da moda no caribe.O país em questão atende todos os segmentos do mercado de turismo,por isso é uma das dez maiores potências no mundo nesta área,creio que a Melissa também já mencionou isso.Saludos,Isaac Carneiro Victal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem toda razao, Aqui tem opcao para TODOS os gostos!!

      Excluir
  2. Não publicam mais os nossos comentários?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu estava viajando , voltei agora, todos publicados! Saludos!

      Excluir