14 Coisas que ninguém diz sobre ser Expatriado







1 - Quando tomamos a decisão de mudar, escutamos as mais variadas opiniões. Alguns te apoiarão e gostariam de ter sua oportunidade ou acham válidas suas motivações. Alguns jamais compreenderão porque você precisa sair do seu país para conquistar seus sonhos.


2 - Ninguém vai embora só para agradar o outro, ainda que seja o coadjuvante da história, você tem algum sonho, expectativa, esperança, do outro lado.


3 - Eu costumo dizer, para as inúmeras pessoas que me enviam mensagens e e-mails, perguntando sobre como é se mudar de país: Não é para qualquer um. Você pode obter dinheiro, sucesso, fazer bons negócios no seu país.



4- Algumas coisas serão mais fáceis, e perderão logo o valor, outras coisas serão mais difíceis e logo terão outro valor para você. Comprar um carro potente só é super ultra legal nos primeiros meses, depois passa a ser apenas mais uma coisa. Afastar-se da vida que você tinha e adaptar-se a nova vida é apenas um detalhe, até você ter que encarar a realidade desse fato.


5 - Como já escrevi antes, mudar de país é viver entre 2 mundos (ou mais, se tiver outras experiências). Viver fora te ensina a viver sozinho, ainda que esteja rodeado de pessoas. Haverá dias muito bons e dias muito ruins, em que você vai ter vontade de largar tudo e desistir.



6 - Você encontrará comunidades de brasileiros, latinos, expatriados, e eles serão muitas vezes a rede de apoio necessária, e até mesmo algumas boas amizades se formarão. Outras vezes essas pessoas podem se tornar inconvenientes e pesadas, achando que, apenas por compartilharem a mesma nacionalidade há muita coisa em comum, quando nem sempre é assim.


7 - Haverá festas, eventos, muitas fotos marcadas juntas nas redes sociais, mas isso tudo é circunstancial, poucos deles serão efetivamente seus amigos, embora passem muitos momentos divertidos juntos. No fim de algum tempo ou você ou a maioria deles vai acabar indo embora, porque as comunidades internacionais são assim mesmo.



8 - Vai descobrir que o mundo é muito, mas muito pequeno, e que na sua rua, do outro lado do continente, pode encontrar a prima do seu amigo de infância, que as redes sociais nos unem e mesclam e nem sempre isso será algo bom para você, portanto, cuidado com o que diz e como interage, pois, isso poderá ser usado contra ou a favor.


9 - Você vai postar fotos sorridentes nas redes sociais, e verá comentários gentis, de pessoas que acreditam que está plenamente feliz, realizado, que chegou no topo do mundo, e só você saberá que não é bem assim. O Everest de cada um é muito mais sobre o caminho de chegar até lá do que os minutos de contemplação no cume da montanha. E poucos, muito poucos compreenderão isso.


10 - Ninguém diz sobre o quão solitário, doloroso e difícil é o processo e como isso nos fortalece. Porque poucos estão dispostos a compreender isso. As pessoas querem respostas pasteurizadas, com filtros cor-de-rosa, com finais felizes ou se preocupam em julgar o que não conhecem realmente.


11 - Todos querem comentar que fulano teve a coragem de largar tudo e perseguir seus sonhos e agora tem um carrão, mora em uma casona, viaja para lugares paradisíacos, porque isso é a projeção de sonhos e expectativas de muitos. Ou preferem achar que a pessoa quebrou a cara porque não se esforçou, não deu o melhor de si, por isso voltou. Porque é muito complicado compreender a complexidade da situação sem ter vivido, experimentado.


12 -O Caribe, mar mediterrâneo, a torre Eiffel, o Coliseu, as pirâmides, são maravilhosos, mas depois de algum tempo são só uma paisagem como outra qualquer, são despidas de seu glamour, ainda que possam ser apreciadas, haverá dias que nem serão notados.


13 -Falar outro idioma é cansativo. Podem passar anos, seu vocabulário vai enriquecer, a fluidez vai chegar, você vai sonhar no idioma local, aprender a falar grosserias e expressões, e pode até mesmo começar a esquecer palavras em português, mas ainda assim, falar no seu idioma é sempre confortável.


14 - Você pode amar seu pais e as pessoas que deixou lá, mas com o tempo, deixará de ter vontade de visita-los e estar lá com tanta frequência. Sua casa será em outro lugar, sua cama, seus lençóis, sua rotina. Isso não significa que os ame, apenas que seu lar está em outra parte.


Escrito por:



Fabiana Giannotti, brasileira radicada no México desde 2008, praticamente uma expert em mudanças depois de encontrar e mudar para 8 casas em 7 anos, além de acumular experiências em tradução, aulas de português, corretagem de imóveis e assessoria para expatriados. Adoro escrever, conversar, fazer novos amigos, viajar. Me considero afortunada por viver no México, aprender a respeitar e conhecer essa bela cultura. Conhecer, adaptar-se, aprender, mudar, acostumar, respeitar, amar o diferente são algumas coisas que descobri nos últimos anos, além do fato que, por mais perfeito que seja o plano tudo pode mudar de repente...



Para quem busca serviços personalizados, tramites e asessoria no processo de expatriação ao México, além de todas as informações disponíveis no Blog oferecemos um serviço personalizado a suas necessidades:

http://fabianagiannotti.wixsite.com/mudandoparaomexico

Se gostou desse texto pode curtir nossa fanpage onde há muita interaçao e dicas interessantes:


https://www.facebook.com/viviendoenelmexicomagico/






Share:

3 comentários

  1. Muito legal tudo que você escreveu, realmente é desse jeito que as coisas acontecem.

    ResponderExcluir
  2. Boa noite, gostei muito do seu blog! Estou pensando em procurar algum trabalho no Mexico, mas tenho muito medo de não ser tudo isso que imagino, sabemos que nosso país ( Brasil ) não está muito bem das pernas e cada dia mais falta oportunidades de trabalho, e não ser fluente no espanhol, parece algo muito dificil de se conseguir um trabalho por ai ou se comunicar com nativos.

    ResponderExcluir