MÉXICO pelo Blog Atravessar Fronteiras.


Hola pessoal , tudo bem?
Eu sempre passei minha visão sobre tudo relacionado ao México. Agora resolvi inovar!
Eu participo de muitos grupos de Blogueiros de Viagens pelo mundo, e , vez ou outra, vou convidá-los para uma pontinha aqui, no meu humilde Blog. E eles vão contar na real o que acharam da terra dos mayas. É bom ver por outro lado né? E vocês aproveitam e conhecem as redes sociais deles! (os endereços estão no final do post....) A gente começa com a ADRIANA,  do Atravessar Fronteiras (clica).





Em se tratando de México, as pessoas têm alguns lugares comuns e caricaturas na cabeça. Se você realmente quer conhecer o México, abandone ideias pré-fabricadas e mergulhe nesse país colorido e surpreendente. 






Em primeiro lugar: o México não é Cancun. Cancun é qualquer praia do Caribe que mais se parece com os EUA, mas que definitivamente não traduz o México. Não que Cancun não seja legal. Mas se você quiser conhecer o México, tem que ir além disso.






Eu fui com meu marido e dois filhos (de 6 e 9 anos na época) para o México em 2014. A gente queria praia, tequila e peixinhos, mas a gente queria muito mais.

Ficamos uma semana na Cidade do México, que é indescritível. Como você já deve ter ouvido falar, ela é imeeeeensa! Ela é espalhada, não é tão vertical como São Paulo. São poucos prédios altíssimos, porque os antigos caíram com os terremotos, então os arranha-céus do México são recentes e - espero - com tecnologia para aguentar os tremores. 



Ficamos num lugar muito bem localizado, numa das avenidas mais modernas da cidade, o Paseo de La Reforma. O hotel era um flat muito bom e confortável para famílias, o Plaza Suites Mexico City .




O Paseo de La Reforma, como muitas outras avenidas de grandes cidades, se transforma numa área de lazer aos domingos, com proibição de tráfego de carros. Correr, pedalar ou somente passear por ali é uma delícia.

Aproveitamos o passeio e fomos andando para o centro histórico da cidade do México, o Zócalo, onde estão ruínas das culturas passadas, museus, centros de arte, murais de Rivera, catedrais. Sério, é preciso pelo menos uns dois dias ou mais para absorver tanta cultura e informação no Zócalo.


Do outro lado do Paseo de La Reforma fica o Parque Chapultepec, com seu maravilhoso Museu de Antropologia (que merece pelo menos uma manhã inteira de visita). Pudemos ver os famosos voladores, outra característica interessante da cultura mexicana. Depois, passear pelo Chapultepec, com seus lagos, seus esquilos, suas palomitas (pipocas) coloridas, tudo é uma delícia.







Ah, a casa de Frida Kahlo em Coyoacán virou um museu onde se respira o mesmo ar que inspirou essa admirável mulher. Como não é permitido tirar fotos, você faz um passeio mais tranquilo, só observando todo o ambiente que inspirava e que fazia parte de uma das maiores artistas latino-americanas.

Em seguida, visitamos uma rede de canais da cidade do México, o Xochimilco, onde você anda naqueles barquinhos coloridos típicos mexicanos, e onde aparecem outros barquinhos vendendo de tudo, desde banda de música até anéis de ouro. Aliás, foi lá que comprei um anel da Pedra do Sol que nunca mais saiu do meu dedo.

Assistir a Luta Livre no México é SENSACIONAL, principalmente se você vai com crianças, como eu. Fomos à tradicionalíssima Arena México, os meninos ficaram loucos com as dezenas de barraquinhas em frente que vendem capas e máscaras de luta livre para todo gosto. Claro que compramos várias, inclusive para presentear os amigos, que adoraram!




As pirâmides de Teotihuacán foram outro passeio IMPERDÍVEL. Elas ficam próximas à cidade do México e se você quiser absorver melhor o ambiente, sugiro que vá cedo, antes das multidões chegarem. Suba as pirâmides, caminhe sem pressa pelas ruas, respire o ar de séculos atrás. 







Claro, depois dessa semana na Cidade do México, fomos à praia aproveitar o mar azulzinho do Caribe. Mas não ficamos em Cancun, mas sim em Playa del Carmen, perto dali, que é mais autêntica e muito mais aconchegante e divertida do que Cancun. E é de lá que saem os barcos para Cozumel, que também é um lugar imperdível para quem gosta de mergulho como nós. 










Escrito por:





Adriana Magalhães é jornalista, apaixonada por viagens, que mantém o blog Atravessar Fronteiras desde 2009. Lá ela busca transmitir aos leitores informações e, principalmente, sua emoção ao se deparar com culturas, paladares, paisagens e histórias diferentes. Seus dois filhos, Arthur, de 12 anos, e Léo, de 9 anos, também viajam desde bebês







Share:

2 comentários

  1. Amei o post!!!
    Adorei ter uma "visão de fora"! E ela explorou, muito sabiamente, todos os pontos mais importante. (Experiência é tudo!)
    Peguei algumas dicas do que eu não fiz... rs ;)

    ResponderExcluir