14 coisas que só quem deixou seu país sabe.

Hola!

Faz tempo que estou para escrever esse post , e a inspiração apareceu agora. Faz mais de um ano que moro fora do Brasil, e já me considero capaz de citar algumas coisas que só uma pessoa que passa por essa situação, sabe. Sinceramente eu não me vejo mais voltando pro meu país, graças a Deus nos adaptamos muito bem. Mas tem pontos que vale muito a pena discutir, mudanças que inevitavelmente algum expatriado já passou. É muito ímpar essa vida de expatriado.
Vocês que moram fora, podem concordar, discordar, e acrescentar mais alguns itens, fiquem a vontade. 




1 - Sofrer com todos os acontecimentos que ocorrem na sua família/amigos, e você não estar fisicamente por lá.

Muitas amigas minhas engravidaram, uma , duas vezes, e eu só conheço os bebês por fotos. Serei a tia que mora fora sempre, a intimidade vai ser zero. Primos casam, aniversários de família, amigos constroem casas, viajam juntos... E sempre quando você vê as fotos pelo facebook, dá aquela saudade. 




2 - Dominar um idioma completamente.

Eu mudei pra cá, e considero que falava muito bem o português. Hoje, admito que tenho vários brancos. Misturo coisas, não sei a ortografia completa. Já falo bem o espanhol, mas ainda misturo a tal da conjugação verbal. E o inglês? Um idioma que era fácil para mim, já tenho que pensar e no meio de uma frase em inglês, solto interjeições mexicanas... How much is this?  ... No mancheeees!
Minha filha já fala o português todo embolado. E ela, é a mini Mafalda.




3 - Nunca comprar somente o necessário nos hipermercados.

Não tem jeito. Eu entro nos supermercados pra comprar um saco de pão e saio com o carrinho cheio. É muito acesso a coisa BBB (boa, bonita e barata). Você compra e nem sabe pra que tá comprando, meu marido sempre me lança o olhar mortal "você realmente precisa disso?". Maldito mundo capitalista acessível.





4 - Achar que todo feriado , pontes, férias é pra se viajar....

Afinal, não sabemos até quando vamos morar aqui, então temos que aproveitar pra conhecer tudo né? Meu marido diz que não engole mais meu papinho, mas sempre dá certo. Afinal, temos que conhecer cada m2 do nosso novo país, fazer uma inserção cultural digna. (eu acho!) Com isso , fica cada vez mais difícil "ahorrar" , economizar.






5 - Valorizar muito o bife, arroz, feijão e batata frita.

Coisas assim, simples do dia a dia. Choro de saudades do bife acebolado da minha avó, do feijão da minha mãe, aquele, do dia a dia.... Dos churrascos, e do rodízio de pizza (pausa, um minuto de silêncio...) Não consigo entender como os países estrangeiros não tem rodízio de pizza e comida por quilo . (mistério!!!)




6 - Perder totalmente a noção do que se passa no Brasil, pelo menos "artisticamente"....

Fui fazer uma piada com uma amiga brasileira dia desses , e me referi ao Naldo (whisky ou água de coco...). Ela me olhou com uma cara WTF? Que onda whey? Tipo, quem é esse? Ela mora aqui há 5 anos e não conhece o Naldo. Parei e pensei (puta sorte, brincadeira!), e eu , sei o que passa por lá? Tento acompanhar os jornais, mas fora isso, não dá. Novela então, nem sei mais o que é isso (mesmo morando no país da Televisa!)





7 - Querer arremessar o smartphone com o tal corretor ortográfico...

Palavras maravilhosas são criadas a partir dessa invenção da tecnologia. As pessoas do México acham que eu enlouqueci, as do Brasil, que eu não falo mais português, mas levantem as mãos quem é que nunca foi surpreendido com uma frase elaborada pelo maravilhoso corretor. Quem inventou essa Por&^&%&^?





8 - Saudades de fazer piadas e referências que os mexicanos (ou qualquer outro estrangeiro) não conhecem...

Que adianta? Nada. Se eu faço piadinhas e referências a fatos totalmente desconhecidos por aqui? Passa uma mosca no ar e ninguém ri, Eu , ótimo talento disperdiçado, tenho ótimassss referências, icônicas....





9 - Levanta a mão aí quem não tem saudades da manicure que deixou no Brasil?

Não existe. Ponto final. Manicure igual a nossa, a brasileira que deixamos lá no Brasil não existe. Dilma, cadê a bolsa "leve sua manicure para o exterior?" Cheguei aqui e tive que aprender a fazer coisas que nunca imaginei, uma delas, mão, pé e sombrancelha. Não é ser chata gente.... é diferente. Levo horas pra fazer e nunca fica bom :/




10 - Praticamente ser sócia do Mark Zuckerberg de tanto ficar no Facebook...

Essa daí não tem o que fazer, pode conectar e tá lá, online.... Sempre há aqueles que atiram pedras!!! Milhares! Um dia , queria que antes que fizessem isso, se colocassem no nosso lugar. Longe de tudo e todos, querendo ver as pessoas, ter um oi que seja, aproveitar de skype, face, instagram, Whats app... Seria bem pior sem isso. Seria doído. Danem-se os comentários e opiniões dos politicamente corretos.




11 - Esqueça comunicação bancária com o Brasil.

Não dá, péssimo, tudo complicado. Mandar dinheiro uma novela, acessar internet banking um parto. Se alguém tiver dicas de como fazer isso, por favor deixe comentários para melhorar minha vida. Cansada de pagar juros. Aliás não só a bancária, tenta depender de correios pra você ver que delícia que é.





12 - Você curte a Nostalgia.

Começa a lembrar de coisas de 1950. Se emociona com fatos cotidianos, como aniversário de um ente querido, ou mesmo algo bonito que viu no Pinterest. Sensível. Passa a demonstrar mais o afeto agora , longe, do que quando estava ao lado da pessoa. Normal.






13 - Encarar a vida de um jeito otimizado e simples.

Afinal, pra quem deu essa volta de 180 graus na vida, que abraçou uma outra cultura, que passou a comer coisas totalmente diferentes, viver diferente....Qualquer coisa é fichinha! Até mala você simplifica mais.





14 - Não querer mais voltar a ser o que era.

Porque afinal, você ama tudo isso. Você se transformou, já não é mais o mesmo. E certamente se voltar ao Brasil, vai se sentir diferente. Como se você não fizesse mais parte de tudo aquilo. Agora você é do mundo!


Gostaram? E você?



"Quando se vai morar em outro país tudo pode mudar, ou nada! Sim, nada! Uma das coisas que faz com que nada mude é a mania de querer comparar o país atual pelo que se estava antes. Por mais que algumas coisas se pareçam na maioria sempre será diferente. Por isso as comparações são inúteis. Ou tudo para quem sai de mala vazia buscando encher de novas experiências, tradições e cultura. Porque se for assim você jamais enxergará o de antes com os mesmos olhos. Você aprende a valorizar detalhes antes quase esquecidos, aprende a deixar de lado coisas que antes pareciam tão importantes e agora não passam de futilidade. Aprende a julgar menos, respeitar mais. E principalmente a entender aquele velho ditado: "somos apenas mais um grãozinho de areia".








Share:

30 comentários

  1. Hola Melissa! que bien que tengas un punto de vista optimista de tu estancia por nuestro país, espero que siga siendo placentera para ti y tu familia. Ojalá sigas teniendo tus lapsos de inspiración, me gusta leer tus escritos. :) Saludos desde Mérida.

    Humberto Gómez

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muchas Gracias Humberto!
      De verdad, me encanta tu país!
      Siempre platico con mis amigos que mi alma , es mexicana.
      :)
      Saludos!

      Excluir
  2. Compartilho dessa sensação.
    Agora no Carnaval o coração alerta mais ainda.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até eu , que nunca liguei pra Carnaval, deu um apertozinho....rs
      Mas a gente supera né?
      Saludos.

      Excluir
  3. e verdade Melissa entendo muito do que vc esta falando, eu sinto muitas saudades do meu México não vejc a hora de voltar mais vai demorar e sei la se vou me adaptar depois, me fez lembrar de uma musica de enrique Bumbury chama-se El Extrangro que eu acho descreve todos nos expatriados :D https://www.youtube.com/watch?v=g8gtVRhgnKo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, a gente deixa parte do nosso coração por lá né? como disse, viramos cidadões do mundo! ;)
      Um beijo Di!

      Excluir
  4. Otimo post, adorei principalmente quando voce fala de misturar as linguas e não poder estar fisicamente ao lado nos acontecimentos importantes dos amigos e da familia.
    Eu acrescentaria :
    - perceber que há expressões identicas em varias linguas.
    - se dar conta que existe um outro modo de vida, e sem fazer juizo de valor se é melhor ou pior, apenas diferente.
    - perceber como o mundo é grande e diversificado.
    - Ficar abismado com a falta de reacao dos brasileiros (eu msm era assim) frente à corrupção, à falta de segurança e à desigualdade social.
    - ficar surpreso do alto custo de vida (nivel classe média) no Brasil, incluindo ter que pagar por serviços de qualidade que deveriam ser gratuitos (pois ja seriam pagos pelos impostos), como a educação e saúde.
    - Mesmo estando hà muitos anos no pais e falar bem a lingua local, não compreender as algumas expressões locais.
    - Não ter as mesmas referencias culturais que são usadas todo dia, referencias culturais que vem de fimes, musicas da cultura popular

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei!!! Com certeza vou fazer a parte dois do post e acrescentar muitas sugestões!
      A parte que você cita da corrupção é digna de estudo mesmo!
      Saludos!

      Excluir
  5. Me emocionei muito, é muito verdade! (In)felizmente passei só um semestre morando no México, que foi suficiente pra me impulsionar a conseguir um emprego aqui no Brasil pra juntar dinheiro e voltar pra lá o quanto antes.
    Perdi o aniversário da minha vó onde todos os bisnetos (que estão espalhados pelo Brasil) se juntaram pela primeira vez e foi a maior festa, mesmo estando por Skype, não chega aos pés da vontade de estar junto...
    Sofri com várias piadas com Silvio Santos e É o Tchan feitas automaticamente e que ninguém entendeu hahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Toca aqui então!!!! rs
      Eu sofro mesmo, ninguém ri das minhas piadas...hahahahaha
      E choro de saudades dos meus avós .
      Beijinhos.

      Excluir
  6. muito bom, faço de suas palavras as minhas!!! essa de misturar os idiomas foi ótimo, clássico, ....ai Mae no manches seriooo .... kkkk muito bom arribaaaa braxicanos

    ResponderExcluir
  7. muitooo bom, assino em baixo!!! a parte de misturar os idiomas foi ótimo, eh clássico kkk, ou melhor jajaja... oi Mae como foi acontecer isso no manches ..... assim eh a vida longe mais sempre perto do coração família e amigos. ARRIBA BRAXICANOS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E quem nunca passou por isso verdade?
      rs
      A gente acaba se divertindo!
      Abraços.

      Excluir
  8. Melissa ganhei na loteria achando seu blog. Meu marido sera transferido para o México. Estou DESESPERADA. Sem saber o que fazer. Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana Paula!
      Não se desespere!!! rs
      Leia o blog que tem bastante informação e temos nosso grupo de ajuda no facebook: https://www.facebook.com/groups/679382108836181/
      Todos são muito solícitos!!! :)

      Excluir
    2. Com certeza vou ler. Tenho um trabalho aqui de 10 anos....a decisão não é fácil....mas vamos lá. Não deixe de escrever por favor.

      Excluir
  9. ''13 - Encarar a vida de um jeito otimizado e simples.'' acho isso primordial ,quem nãelo o serve pra servir ,não serve pra viver ,pelo menos penso assim. Nõ sei se sentiria muita saudade ,já que trabalho e estudo na área da saúde isso já acontece bastante aqui tbm. Mas por ser outro país realmente deve dar uma saudade boa,por isso vou aproveitando bastante aqui hahahaha.E já comecei os planos de viagem e correr atrás de bolsas da vida ,logo eu chego aí Mel \0/
    Tô começando a achar que telepatia funciona ,até Sarah por aqui ! kkkkk
    Valeuuuu Mel =)

    ResponderExcluir
  10. Muito bom esse post. Tb estamos indo para o México e teu blog tem ajudado muitoooo!!
    Gratidão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz Andréia! E qualquer dúvida temos o grupo no face e o email! Bienvenida... ;) Saludos!

      Excluir
  11. Muito bacana esses tópicos, mas meus problemas são reversos: pensei em me mudar e hoje não tenho a menor vontade de largar o Brasil. Mas adoro passar um mês aqui, outro ali, sempre que dá.

    Alguns amigos relatam muitas coisas que você citou no texto. Inclusive, sentem tanta saudade que deixam de valorizar as coisas boas de fora - que antes eram inigualáveis - pra amarem as do seu país de origem.

    Cada ser humano é diferente, graças a Deus, e teu texto só reforçou a minha tese de ficar aqui. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Miguel! Sabe, eu me adaptei muito bem por aqui! (Ao contrário da minha vizinha do Brasil, que morou no mesmo lugar que estou morando e adoeceu!). Acho que vai da experiência de cada um... Eu sempre fui desgarrada, sempre andei com a mochila nas costas pelo mundo, então, acho que esse meu perfil me ajudou muito. Mas no fundo o importante é estarmos feliz, independente de onde estivermos... Saludos desde México!

      Excluir
  12. Me encantei c seu blog. Estou aqui hã 1ano e 10 meses. Lembrei do primeiroaniversário que fomos. Bater palmas pra eles nâo existe, né. E, a gente, com cara de tacho. E quando a gente esquece de palavras lnos três idiomas que conhece! Muito bom. Obrigada pelo post

    ResponderExcluir
  13. Você sabe que nas minhas andanças pelo seu blog eu já tinha lido esse post? Eu me pego pensando muito nisso, já que o assunto sair do Brasil está bem forte na minha casa nos últimos tempos. Tenho muita vontade, mas muito receio ao mesmo tempo, não é fácil. Adorei os pontos listados e realmente sorte da sua colega não conhecer o Naldo, hahaha, besos!

    ResponderExcluir
  14. Lindo post, Melissa. Todo mundo imagina, com certo frisson,a vida de quem mora fora.Que bom que você tem uma maneira muito especial de ver a vida pois consegue transformar,olhar por outro ângulo,fazer graça. beijocas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A minha técnica é sempre considerar a metade cheia do copo! Tem dado certo!!! rs Beijos.

      Excluir
  15. E mesmo com tudo isso, eu não vejo a hora de me mudar daqui!
    Infelizmente eu estou numa situação onde já sou expatriada na alma, mas fisicamente presa ao Brasil.
    Estamos no meio caminho nos nosso planos de dair em definitivo do Brasil. E cadê calma nessa hora pra esperar tudo chegar onde deve, a conta engordar o quanto precisa, a papelada estar de acordo e enfim podermos ir?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei bem, te entendo! Eu não consigo me imaginar outra vez, vivendo no Brasil. Tenho até um post falando sobre isso. As me sinto até filha ingrata, mas, é coisa de alma! :)

      Excluir
  16. Poxa eu tinha escrito um comentário enorme sobre minha experiência de viver fora do país... Mas tudo bem, perdi o comentário. Risos.
    Mas eu só queria ser saliente e dar um pitaco: insista na língua materna para vc e para sua filha, sobretudo para ela. Por motivos de: ninguém perde nada em falar bem outro idioma e a língua e a linguagem são portas de entrada para a identidade e a pertença e pelo sim pelo não, vocês sempre terão afetos aqui na terrinha...
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Total de acordo Poli! Mas, é difícil, muito difícil! Ela convive 80% do dia dela com mexicanos, falando espanhol. A minha sorte é que ela ama ler, e , continua lendo em português. Aqui em casa só falamos português, mas eu já me embolo toda, já me falta ortografia e vocabulário! rs Pareço uma louca. Bjs.

      Excluir
  17. Ah, Melissa, ao mesmo tempo que senti uma dozinha de você, também senti que é uma mulher de muita sorte e cheia de oportunidades. Acho que apesar da saudade e de alguns pontos que você relatou aqui, o saldo é muito positivo. Se estivesse no seu lugar faria como você faz, aderir à cultura, à lingua e tudo de diferente que você vê e vive agora. E faria posts maravilhosos, como você faz, falando da nova vida. Muitas felicidades em seu novo Mundo: "A felicidade está onde a gente a constrói". Beijo.

    ResponderExcluir