E quando a saudade aperta? ...DICAS!


Mas e quando a saudade aperta?

*google imagens


E quando dá aquela vontade de colo de casa e de cerveja com amigos que estão a um oceano de distância?




Saudade, é uma palavra de uso exclusivo do nosso idioma, o português ...

Saudade é uma das palavras mais presentes na poesia de amor da língua portuguesa e também na música popular. "Saudade" descreve a mistura dos sentimentos de perda, falta, distância e amor. A palavra vem do latim "solitas, solitatis" (solidão), na forma arcaica de "soedade, soidade e suidade" e sob influência de "saúde" e "saudar".
(Wikipédia)




É meus amigos, nem só de alegrias é feita a vida de uma pessoa que deixa seu país. Tudo tem dois lados. Eu sempre fui "do mundo", no fundo sempre soube que o que me faria feliz é conhecer esse planeta de cabo a rabo. Mas depois da euforia da mudança, depois de uns meses longe de quem você ama, o coração tem dia que fica pequenininho.  E o que faço pra lidar com isso? Mil e uma coisas, porque sou 220V,  odeio ficar depressiva e nostalgica.
Óbviamente não sou a Mulher Maravilha (só pra alguns amigos, hihihi, piada interna, sorry!) e tem dia que se vejo uma planta, da cor da que estava na casa da minha avó, quando eu era pequena, é motivo pra ficar de bode....rs Então, lanço mão dos meus truques pra lidar com tudo isso...






1 - Manter contato.

      Seja por facebook, skype, facetime, email...o que for. É muito bom ter notícias de quem se sente falta. Meus amigos continuam falando comigo sempre, me contando novidades, fofocas, reclamações. Minha mãe me dá pito via internet mesmo (até aprendeu a usar todos os recursos). Essa parte é boa pra você se atentar em quem realmente se importa com você.  Eu sei que as vezes a falta do contato físico, do abraço, é de doer... Mas enquanto o Zuckerberg não incluir isso no face, é o que se tem.... e ajuda!



2 - Não tenha MUITA foto nostálgica em casa

     Antes de vir pra cá, uma vizinha (que já tinha morado aqui e não aguentou , ficou deprê), me falou que ela tinha uma estante onde colocou fotos de toda sua família, e quando passava em frente se matava de chorar... Eu fiquei com aquilo na cabeça! Euzinha que tanto amo fotos, tenho UM porta retrato familiar em casa. Assim, não corro o risco de encarar o sofrimento "Televisa", abraçando porta retratos e chorando. (Se você é controlado emocionalmente, acho que não dá nada....rs)




3 - Faça coisas que te remeta aos seus hábitos antigos.

     Funciona muito! Principalmente gastronomicamente falando. Aprenda a fazer aquele prato que você comia no Brasil e hoje sente muita falta: coxinha, strogonoff, parmegiana, polenta, doces, churrasco... Além de você se sentir um pouquinho mais em casa, pode convidar os amigos estrangeiros e apresentá-los! Com uma música que você curtia então... Pacote perfeito! (Tudo bem que tenho sempre que insistir que nem só de samba vive o Brasil...kkkkk)




4 - Ocupe seu tempo.

     Muito importante. Procure cursos, palestras, ONGS, instituições de caridade, o que for. Principalmente nós, mulheres que viemos com nossos maridos e infelizmente (cara do gato do Scherek, sarcástica) não podemos trabalhar, é fundamental ocupar a cabeça. Aproveita pra fazer um curso que você não tinha tempo para fazer antes, invente coisas novas... Eu já fiz de tudo por aqui, e já tenho uma lista backup de coisas a fazer. (e pode acreditar que mesmo assim, as vezes, me sinto entediada...). Um ponto importante é que nossos maridos, estão lá, trabalhando... É bem interessante saber tudo que se passa pra ter assunto pra conversar... Nada de ficar falando de limpeza e novela, por favor! Tenha seu "menu" de assuntos, módulo esposa wikipédia, sempre.




5 - Séries e Filmes.

   Eu posso ser comentarista de Oscar já (sem hipérbole, de verdade...). Tem muito filme bom esperando pra ser assistido, ou revisto. Escolha. Eu quando estou meio deprê, sempre apelo pro meu BOX Friends (melhor investimento ever....). Já assisti 390 vezes cada episódio, mas , me mato de rir sempre. É o melhor antidepressivo pra mim. Somos um time, eu e Friends....rs Tem séries muito boas disponíveis é só se informar (tem o blog do meu amigo Ivan, que sempre me dá ótimas dicas... Clica!)




6 - Se esforce em fazer novas amizades.

     Uma das maneiras universalmente eficazes em amar seu novo lar. Permita-se conhecer os outros, com certeza você encontrará um grupo que tenha afinidades. Não gaste muito tempo sofrendo e chorando pelos seus velhos amigos , assim, você perderá as oportunidades de amizades que estão ali, plantadas na sua frente. Convide pra sair, seja cara de pau, aceite todos os convites (lembram people? México!!!). Os meus daqui, estão comigo até nos bodes. Já me conhecem! Fui ver que apliquei bem isso quando fiz a listinha do niver do esposo, e me perguntei, como foi que eu conheci tanta gente, em tão pouco tempo. Eu, assim , super tímida...hahahaha.




7 - Viva o lugar!

       Mergulhe de ponta. Aprenda a gostar.
       Saia da sua zona de conforto.
     Aprenda a língua ou expressões locais, descubra a cozinha e até mesmo tente aprender algumas dicas de moda dos habitantes. Se você encontrar um amigo para acompanhá-lo (a) a um lugar novo, vai sentir ainda menos saudades de casa, mas não desanime se não conseguir. Sair e conhecer um lugar novo por si só é muito melhor do que não fazer nada e sentir-se triste.
Mesmo que não tenha gostado da experiência, você terá algumas grandes micos e histórias para contar depois. 




8 - Não se deprima!

      Tente olhar sempre a parte cheia do copo. Liste as coisas boas que esse mudança trouxe pra você e sua família e faça disso um mantra. Sempre há pelo menos UMA coisa boa em toda mudança. E não se culpe se a sua adaptação não foi igual a de X ou Y, cada pessoa tem seu tempo. De tempo ao tempo. A pior coisa que você pode fazer é passar o dia se lamentando, chorando, reclamando...Sofrimento nível Maria Del Barrio não!!!!!
 Sábios Menudos.... Não se (de) REPRIMA!





E se tudo isso não adiantar!?????? 


Entre no programa de milhas do seu cartão, divida sua passagem em 457 vezes e de um pulinho logo ali, no Brasil. Ou insista e faça chantagens com seus entes queridos, é perdoável até pedir pra filha ligar , assim, né mamis? Que avó resiste?





Besitos Saudosos.
    






Share:

6 comentários

  1. Amiga, também morro de saudades, principalmente do meu cachorrinho de dos meus avós !!!

    ResponderExcluir
  2. Oi querida, acompanho seu blog desde o final do ano passado (quando meu noivo se mudou para o Mexico :(
    Fiquei com uma pulguinha atras da orelha sobre o seu post onde você diz: "Ocupe seu tempo....Principalmente nós, mulheres que viemos com nossos maridos e infelizmente (cara do gato do Scherek, sarcástica) não podemos trabalhar, é fundamental ocupar a cabeça." Nao compreendi a parte de "nao podemos trabalhar", é alguma lei especifica do México? Ou você diz isso por ter seu filho e ter o tempo integral para ele?
    Obrigada. Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Pâmela! Fico feliz que o blog ajude em algo.
      Então, no meu caso, vim pela proposta do meu marido. O visto com a permissão de trabalho é dele. Meu visto não me permite trabalhar... ao menos que eu seja convidada por uma empresa, essa, esteja ok com o INM e possa tramitar meu visto. Já te adianto que aqui, eles dão preferências a mexicanos, então as empresas que podem fazer a contratação são poucas. Tá tudo num post de visto, que fiz!
      Saludos desde México.
      Mel.

      Excluir
    2. Obrigada Mel :D

      Excluir
  3. Oi melissa! Meu marido aceitou uma proposta de trabalho no México (monterrey) e desde então acompanho seu blog e simplesmente amei! O texto é maravilhoso... Dou muita risada.. Parabéns!
    Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Rosilene! Boa sorte pra vocês , e se precisar de algo que o Blog puder ajudar, aqui estou! :) Sucesso pra vocês. Saludos desde México.

      Excluir