O outro lado da moeda - Gente que não se adaptou!

Eu tenho um Blog onde é o meu modo de ver o país que está sendo exposto.

Ele graças a Deus vem fazendo bastante sucesso, divulgando o México por aí... Mas , devido ao aumento dos números me peguei pensando que , muitas pessoas que lêem a minha experiência podem não ser maduras o suficiente para saber que isso não acontece com todo mundo... que foi comigo que aconteceu! Eu me adaptei, eu adoro o México e me encanto com esse país!

Mas não somos iguais.




Eu lembro perfeitamente de uma vizinha, que quando eu contei pra ela que viria morar em San Luís pela empresa (ela morou aqui com o marido...) quase começou a chorar, puro pânico nos olhos... Ela não se adaptou! E não é uma pessoa pior que eu por isso. As pessoas são diferentes, tem gostos diferentes!
Você também tem que parar e por a mão na consciência do "Por quê?????" quer vir pra cá. Tenho percebido muita gente sonhadora, que alimentada pelas novelas de sucesso no Brasil, acham que encontrar um mexicano na internet, vai fazer dele um grande príncipe charro como os das mocinhas heroínas. Deve existir sim! Mas tratando-se de relações impessoais na internet todo cuidado é pouco... 

Então aproveitei o grupo que temos e lancei a pergunta: Quem não se adaptou e por quê? Foram poucas as pessoas que me responderam, mas acho válido relatar a experiência DELAS.



Vou colocar trechos, óbviamente sem assinatura, porque não vou expor a pessoa. A intenção é você ver o outro lado, o difícil, o que pensam as pessoas que tentaram, mas não conseguiram se adaptar a uma outra cultura... Com todo o respeito, antes que elas sejam apedrejadas. É pra ajudar vocês !


"Quando cheguei ao México adorei!

O clima, a gentileza dos mexicanos, a comida, a agradável surpresa da Cidade do México não ser tão caótica como São Paulo, o custo de vida mais baixo,... Enfim, parecia que eu estava de férias durante alguns meses

Com o passar do tempo alguns fatores, no trabalho e fora dele, foram me chateando e estressando:


-Mau funcionamento e descaso de serviços em geral. Como por exemplo, em bancos, internet + tv cabo, telefonia, taxis, inquilinos, etc...

-Alguns mexicanos nunca dizem NÃO, então te deixam esperando por horas e acaba não indo e não cumprem compromissos importantes.

-O escritório onde trabalho esta composto por estrangeiros e mexicanos, 50/50 e trabalhamos em conjuntos em vários projetos. E ai vem o problema! Os mexicanos não têm muita ambição e se contentam com “pouco” atrapalhando quem veio de tão longe buscando realmente crescer profissionalmente.

-A divisão racial / status é gritante, realmente se nota muito a diferença social entre brancos e descendentes indígenas.

-Um país retrógrado em comparação com outros da Latina América. Serem contra reformas que aconteceram no Brasil e na Europa a mais de 30 anos sem conhecer o conteúdo das mesmas, além de retrógrado, me parece ignorância pois essas reformas contribuem para a evolução do país. Sem contar que, pelo menos na Cidade do México, não se pode sair com um vestido ou uma saia sem que te fiquem encarando mulheres e homens.

- A falta de respeito de motoristas no transito, para com ciclistas e peões.
...
Ressalto que morei na Europa desde meus 9 anos de idade, talvez fator importante para a minha não adaptação..."




Outro feedback pra minha pergunta foi esse:


"Vou embora dia 23 e as vezes choro de alegria e outras de tristeza das coisas serem tão diferentes do que eu gostaria.

Esta é a quarta vez que venho pra Mérida, na primeira vez que vim conheci um mexicano na última noite em que eu estava aqui de turista e me apaixonei de um jeito que eu não sei explicar. Na segunda vez, foram mais 15 dias que passamos juntos, na terceira, (ano passado) vim pra ficar 6 meses mas acabei indo embora com 4 por diversas razões, e dessa vez eu achei que as coisas podiam ser um pouco diferentes, como de fato são e resolvi tentar outra vez.
Vim sem trabalho, com visto de turista. Essa foi a minha primeira dificuldade, que não coloco como um fator "não me adaptei" porque eu sabia das condições. Porém, a total falta de regulamentação do trabalho me incomodou. Eu estava trabalhando como ilegal, ok. Mas muitos mexicanos trabalham e não recebem hora extra, são mal tratados pelos patrões e os salários são baixíssimos. Além disso não é nada fácil conseguir emprego, e esse sim é um dos fatores quero ir embora: todos dizem ok, passa aqui amanhã, conversaremos, com certeza você terá um lugar aqui e não te chamam nunca mais. Teve um que fechamos tudo e ele ficou de me ligar no dia seguinte para me mandar o endereço do escritório. Tô até hoje esperando. Outro queria me contratar para dar aula de jardinagem em um asilo, esse me chamou de volta, mas eram cerca de 20 idosos, ele me pagaria 100 pesos por hora, duas horas por semana porém eu teria que ter as ferramentas, (para 20 pessoas!!!) Ou seja, o investimento que ele deveria ter ele repassa para o empregado. Resumindo: sem visto de trabalho é muito difícil conseguir um bom emprego, e caso vc pense que conseguirá, existe uns 80% de chance de vc ficar vendo navios. Falta comprometimento. Pelo menos aqui em Mérida falta muito, mesmo como turista, sou muito mal atendida em diversos lugares. Não conheço muito do México, mas é bem diferente da Riviera Maia, já fui mal tratada lá, um vendedor ficou bravo porque minha mãe não quis comprar mesmo depois que ele deu "o super desconto", mas foi uma vez não foi uma coisa corriqueira. O que tb não justifica a falta de profissionalismo dele.

Eu to pensando aqui em como te dizer em poucas palavras o que me incomoda muito. Eu acho os mexicanos daqui de Mérida extremamente imaturos. 

Outra coisa que não me adaptei, e não mesmo foi comida. Aqui em Mérida eles comem muuuita fritura e muita carne e eu sou vegetariana. Lugares que são para turista comer até que tem opções vegetarianas, mas os que não são é bem difícil encontrar alguma coisa que não seja fritura ou carne. Fui doar sangue e já vi que estou com anemia. Dependendo do mercado que a gente vai tem verdura fresca, aquelas que vem em embalagem de plástico, dependendo do mercado não tem, e as comuns que estamos acostumados no Brasil aqui são horrorosas, porque faz muuuito calor e se perde tudo. Resumindo: 4 meses que quando como fora de casa como quesadilla, guacamole, pizza ou panucho, que é gordurento mas que eles conseguem trocar a carne por ovo cozido, e aí fica muito bom!"



Outro...


"Vivo numa constante busca em me adaptar, estar feliz e tranquila 
por aqui, mesmo porque do contrario a única prejudicada sou eu mesma, 
uma vez que meu marido AMA esse lugar e tem pretensão de estender o 
contrato de expatriação. Todas as experiências que tive negativas aqui (
 CLARO que sempre existe e existe sim o lado bom de viver aqui), não
foram pautadas em uma única vez, nesse 1 ano e meio aconteceram de novo e
 de novo e de novo rsrsrs.
Antes de tudo e qualquer coisa, me sinto sozinha aqui….
sinto falta da minha família, dos meus amigos, do 
meu trabalho e da minha independência. Esse eh o fator que mais vezes me
 fez olhar pro armário e querer pegar minha mala e partir no primeiro 
voo. Construí alguns amigos aqui, muito especiais diga-se de 
passagem....mas a saudade eh maior e eh um sentimento que dói de 
verdade.
Outro fator eh a comida. Não gosto e ponto final! 
O sabor eh muito forte, não posso sentir nem o cheiro de cilantro. Então 
sempre tenho que procurar alternativas pra comer fora da minha casa, 
porque aqui até no restaurante japonês eles”mexicanizam” o prato.
O clima....moro numa colônia onde calor passou longe…muito longe. Desde 
que cheguei sinto frio TODOS os dias. E pra uma amante de calor eh depre total.
As pessoas (espero não parecer grosseira ou arrogante, 
porque DE VERDADE essa não eh minha intenção). Pra mim, uma grande parte
 do mexicanos são 'falsos educados'.  Haja visto esse transito caótico, 
onde cada um pensa em si e dane-se leis, regras e todo o resto, sem 
falar nesses policiais nojentos que te param pra pegar uma esmola de 
propina, mas subornar eh o importante. 
Os serviços e atendimento são PÉSSIMOS. 
Nunca eh aquilo que realmente vendem, o prazo 
esta longe de ser cumprido e vc fica refém deles o tempo todo. Pra mim 
essa frase feita "estamos aqui para servi-la” eh pura falsidade e hoje, 
depois de tomar tanto na cabeça, desconfio de tudo e todos. Já pensei, 
repensei e vi que esse comportamento vai além da cultura deles, da qual 
respeito e admiro muito. Eles estão acostumados a passar pra trás, a não
 dizer não e depois se “desresponsabilizar" de qualquer consequência com a
 maior naturalidade e, me parece, sem nenhum peso na consciência....
Bom....acho que eh isso rsrsrs. Tento TODOS os dias ver o lado bom de tudo isso que
 escrevi e tentar mudar a MINHA postura em relação a tudo, porque sei e 
entendo que mudar eles não será  possível e seria muita pretensão minha 
rsrsrs... "


 
 
  
Resumindo, as pessoas geralmente não se adaptam por:

- Gastronomia.
- Diferença de costumes.
- Diferenças de hábitos.
- Clima.
- condições dos sistemas públicos.
- Ritmo de vida.

A palavra ADAPTAÇÃO, é uma das palavras mais importantes na vida de um expatriado.
No começo, tudo é uma grande ANSIEDADE. Como será o dia a dia fora do Brasil? Quando eu chegar, como será que irei pegar um ônibus, comprar leite no supermercado, como será o supermercado? Como farei para pegar ônibus, e se me perder na cidade? Como será que os "gringos" se vestem?
Daí você chega no destino final, no país aonde irá permanecer por um bom tempo. Olha ao redor e fala: E aí? E agora? CHEGUEI!. E como todo ser humano ansioso, espera poder fazer tudo e saber tudo em apenas 1 semana. Espera que já tenha todas as respostas daquilo que procurava. Mas infelizmente descobre que não é assim.
No começo, é realmente apenas uma questão de ADAPTAÇÃO. Tem gente que consegue chegar em qualquer lugar e se adaptar imediatamente, tem gente que não.




Então você aí que quer se aventurar, além de estar disposta mesmo...tem que ter o PLANO! (lembram? to repetitiva...) e mesmo assim, pode ser que seu coração não se sinta bem.
Eu não posso reclamar de NADA! Ops, posso sim, do trânsito e do serviço precário dos bancos e correios....rs E de ganhar mil quilos....
E vocês, o que acham?
Besitos.


Share:

11 comentários

  1. Adoreiii!! sim tem todo um lado positivo e negativo, morar no mexico ñ é uma novala de thalia, homens mexicanos sao Carlos daniel da usurpadora ou Carlos fernado de maria del bairro,nem a vida é um conto de fadas, tem todo um contra e favor, eu simplesmente amo o mexico, acho que nasci no pais errado como diz meu pai,e ñ é a toa que casei com um mexicano, que ñ é facil constumes diferentes se bateem e comooooo kkk, mais eu convivo com mexicanos desde pequena, e quero dizer que o mais dificil de viver no mexico é se adptar com a comida, porque desde o nosso simples café da mnha aqui é totalmente diferente, haaa e as leis trabalhista tb muito diferente, mais te digo, aqui é mais facil de ter seu carro sua casa e a qualidade e vida é muito melhor, que no Brasil, que vc se mata para ter um carrinho, entao se pensar nisso de q vale essas leis que vc nao consegue comprar quase nada, aqui viajamos pq sobra um dinheirinho e nao é caro, no Brasil haiiii viajar é um luxoooo, entao tudo realmente tem seu ladinhooo. Desculpe pelos erros no portugues mais meu teclado está em español bjsss

    ResponderExcluir
  2. Acho que isso depende de cidade para cidade e do que você está acostumado no Brasil. Vivi 4 meses em Querétaro e para mim foi tudo maravilhoso. Só sentia saudades do "feijão com arroz".

    ResponderExcluir
  3. Adorei tudo aqui Melissa, já estive aqui ano passado e fiquei louca pra voltar, consegui trabalho e estou legal no país. Cheguei a três semanas e já estou sentindo um pouco do relataram neste post, uma saudade imensa de tudo e todos no Brasil, desde cheguei só sei chorar. O meu amor pelo México, sua cultura, sua gente é inexplicável mas chegando aqui não sei o que me aconteceu e a vontade de voltar é maior que o amor que tenho por esse país.Minha família pede pra eu ter calma e disseram que no inicio tudo é mais difícil, que só tenho que me adaptar a nova vida, mas quem está aqui sou eu eu sinto que isso não será possível, tudo que mais quero é ir embora mais infelizmente isso não será possível pois tenho que cumprir o contrato de trabalho.

    ResponderExcluir
  4. Nossa, realmente interessante ler outros pontos de vista. Cada pessoa tem sua própria experiência e não temos como julgar, certo? Ainda bem que você se adaptou bem Melissa!

    ResponderExcluir
  5. Essa é a minha maior dúvida. Estou num longo processo pra imigrar pro Canadá e tenho esse receio de não conseguirmos nos adaptar, porque por mais que conheçamos o país, só dá pra saber se a gente consegue chamar de lar vivendo MESMO lá, né?

    ResponderExcluir
  6. Menina, vc sabe que pelo Viviendo eu não tenho vontade nenhuma de morar no México? Claro, nunca nem fui ao México e pode ser feio isso que estou dizendo, precipitado. Mas pelo que vc relata, é uma cultura bem diferente, um tanto machista. Fico muito feliz que vc tenha se adaptado, pois tenho amigos que emigraram para Londres, Orlando, Dublin e não se adaptaram! Da mesma forma que tenho amigos que foram para Sidney, Orlando, Espanha e só vem ao Brasil a passeio. Não deve ser fácil de qualquer maneira!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É machista sim, por mais que neguem de pés juntos! rs Mas sabe que eu sempre parti do princípio que a intrusa sou eu, logo, eu que tenho que me adaptar. E tem funcionado!!! rs Já nem ligo muito mais, falei esses dias pro meu marido que há 2 anos não compro bermuda...rs Eu procuro sempre que estou com mexicanos, dançar a música deles....rs Mas, com os brasileiros, já viramos a chavinha....rs Beijos.

      Excluir
  7. Muito difícil morar aqui!!!! No México você é classificado pelo título profissional, posição social, posto que ocupa no trabalho e... pelo carro que tem! Muito materialistas, se preocupam demais com a vida alheia, mulheres na rua te olham dos pés à cabeça. Sinto que não posso confiar. As famílias são super tradicionais. Passo por isso é não é fácil. Tenho filho com um mexicano e os pais dele, ou seja, meus sogros, se metem em tudo. E pra ele é normal, afinal, cresceu nisso. Pode ser uma característica dessa família. Sei que existem diversos tipos de estrutura familiar. Mas não é assim tão diverso como no Brasil. As famílias aqui seguem um certo padrão. Pra quem já vem com marido, e com trabalho seguro, com certeza é muito mais fácil. Mexicanos são simpáticos e muito formais. Fica difícil distinguir a linha entre formalidade e amizade real. O machismo é surpreendente. Mais ainda se você cai numa dessas famílias tradicionais. A comida, na minha opinião, é o mais fácil de se adaptar. Porque se você não gosta, é só cozinhar o que está acostumada. Difícil é se adaptar à maneira de ser deles. Vir ao México arriscar a vida é um tiro no escuro. Tem muita razão quando diz que é necessário planejar antes!

    ResponderExcluir
  8. Que bom que você se adaptou, Melissa. Quando leio vários relatos seus em outros posts penso que eu teria muita dificuldade com alimentação e maneira de vestir[sou muito básica e detesto maquiagem]. Interessante ver como foi a vida para outras pessoas. É fundamental ouvir várias experiências para tomar uma decisão.

    ResponderExcluir
  9. Melissa, ótima decisão de fazer esse post.
    Como todo mundo vê a sua vida, acha que vai ser sempre lindo e nem sempre é.
    Eu, por exemplo, tenho que colocar os pés no chão todos os dias. Porque senão faço minhas malas e vou correndo para aí. Ai paro e penso: Nada disso! Pelo menos, ainda não.
    Como me sinto uma mexicana (muita maquiagem, muito salto, muita unha, muito brilho... rs), me senti em casa. Pela primeira vez me senti parte de um povo, igual as pessoas (meu marido até me perdeu numa multidão de mexicanas, pode?!. Então eu me iludo que é fácil assim, mas tenho que fazer o exercício mental que não é. E me contentar que só dá para eu ser turista por enquanto.
    Aff! Eu escrevo muito... rs
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois continue escrevendo porque eu ADORO esse tipo de feedback! ;) E sim, tem gente que por mais que se esforço, não se adapta, sente muita falta da família, enfim...somos diferentes né? :) Obrigada por seguir o Blog! Besitos.

      Excluir