REGIAO PONIENTE - Santa Fé, Cuajimalpa e Interlomas.

Santa Fé:








Um bairro/ou colônia, da Delegación/ou município de Cuajimalpa. A 20 anos atrás era um enorme aterro sanitário, taparam o aterro e construíram um megacentro empresarial, com Universidades, Centros comerciais, hospitais. Ao redor de Santa Fé estão pueblitos, ou bairros mais simples, menos nobres (destaque para o pueblo de Sta Fe e o pueblo de Cuajimalpa), que foram tomados pela crescida desenfreada de Santa Fé, e cresceram sem a necessária Infraestrutura. Por isso se vê um condomínio enorme, com toda estrutura, em uma ruazinha estreita, feia, cheia de vendinhas, borracharia, postos de venda no meio da rua. Não se vive sem carro nessa região, as distancias de deslocamento para qualquer coisa são grandes.





Região Nobre, alta concentração de empresas, arquitetura arrojada, moderna, com um enorme shopping, serviços, escolas excelentes, hospital de 1º mundo (ABC Sta Fe), excelentes opções gastronômicas, muitoooo transito. 




Como é uma zona empresarial, com inúmeros Edificios de Escritórios, vem fluxo da cidade inteira para lá. Algumas das principais vias de acesso principais são pela Super Vía (que liga Sta Fe ao Sul), por Palmas e Reforma (região central com muito transito) e pela carretera Mexico Toluca, opçao pedagiada de quem vem da zona norte (também carregadíssima em horários de pico).





$$$$$ - Caríssimo para se viver. Se você vem como expatriado, por tempo determinado e não tem intenção de ficar, com despesas pagas pela empresa, não tem muito a perder, mas lembre-se que os serviços serão bem mais caros que em outra região. Escolas, hospital, entre os mais caros do México, lembrando que aqui pagamos todos os exames e consultas preventivos, para que tenha uma ideia, meu gastro me atendia em Satélite em uma consulta de $600 pesos, o mesmo medico, no consultório de Sta Fe, me cobrava $1500.00





Para quem vai trabalhar em Santa Fé, mas não é expatriado e não pode deixar rios de dinheiro em aluguel e serviços, uma boa opção são bairros de Contadero, El Yaqui, Cuajimalpa, Castoreña, esses bairros estao dentro do “Pueblo de Cuajimalpa”. Também pode encontrar um meio termo em Vista Hermosa ou Bosques de la Loma, que são áreas nobres porem não tão caras como Santa Fe. Dependendo do bairro, as temperaturas no inverno são bem frias, pela altitude. A primavera/verão há um calor sempre fresco, nunca quente, o inverno chega a ter temperaturas negativas (até -6 foi registrado).





Interlomas:






Situado no municipio de Huixquilucan, para quem vem do Norte pela carretera é a saída vizinha de Santa Fé, é uma região que se formou em função do êxodo de empresas a essa região, no intuito de se tornar uma área residencial, mas vem recebendo muitas empresas nos últimos tempos. 




Os principais acessos a Interlomas sao por Vista Hermosa (pelos acessos que ligam Huixquilucan a Naucalpan), pela carretera (que liga o Norte da cidade a região de Toluca), por Sta Fe a opção é pela estrada pedagiada ou pelo Pueblo de Cuajimalpa (transito pesado). 




Em Interlomas não se vive sem carro tampouco, longas distancias para qualquer deslocamento, transito considerável nas vias de entrada e saída da região. Dentro do bairro pode-se viver numa “bolha” sem necessidade de sair muito da região, se o trabalho for aí mesmo. 




A região possui boas escolas, universidades, Hopital Angeles que é uma boa rede (relativamente caro), os melhores hiper e supermercados, teatros, shoppings e toda a comodidade de uma zona nobre.



O clima está semelhante ao de Santa Fe. Há muitas opções de amplas casas e apartamentos, novos, elegantes, com todos os serviços, segurança. Alguns condomínios são verdadeiras cidades de tão grandes.



$$$$$$ Região tão cara como Santa Fé, recomendado a famílias de alto poder aquisitivo ou com gastos pagos pela empresa, considerando que da mesma forma os serviços se incrementam pela região.


Veja também:





Escrito por:





Brasileira radicada no México desde 2008, casada, 2 filhos, descobri o que era ser mãe 24h e dona de casa após vir para cá. Quase uma expert em mudanças após mudar 8 vezes em 7 anos, além de acumular experiências em tradução, aulas de português, corretagem de imóveis e assessoria para expatriados. Adoro escrever, conversar, fazer novos amigos, viajar. Me considero afortunada por viver no México, aprender a respeitar e conhecer essa bela cultura. Conhecer, adaptar-se, aprender, mudar, acostumar, respeitar, amar o diferente são algumas coisas que descobri nos últimos anos, além do fato que por mais perfeito que seja o plano tudo pode mudar de repente... 




Para quem busca serviços personalizados, tramites e asessoria no processo de expatriação ao México, além de todas as informações disponíveis no Blog oferecemos um serviço personalizado a suas necessidades:


http://fabianagiannotti.wixsite.com/mudandoparaomexico

Se gostou desse texto pode curtir nossa fanpage onde há muita interaçao e dicas interessantes:


https://www.facebook.com/viviendoenelmexicomagico/

Share:

3 comentários

  1. Bem,gostaria de dizer,não é que alguns achem que a prezada Fabiana Gianotti seja elitista,mas aqui só foram postados os extremos,os bairros mais caros e os bairros populares,ambos mais na região metropolitana,não os de classe média,que cercam o centro histórico por exemplo,e possuem fácil acesso a tudo,ademais de estarem repletos de conjuntos habitacionais para pessoas de classe média baixa;me refiro às colonias Santa Maria la Ribera,Guerrero,conjunto de Tlatelolco,etc,parece que a função desses bairros é justamente mesclar classes sociais e permitir uma moradia mais acessível próxima ao centro e Reforma(pode-se transitar a pé por esses lugares todos).Apesar da capital dos mexicanos ser uma cidade desigual,já vi uma pessoa falar isso e concordo:as diferentes classes sociais lá convivem muito mais próximas que aqui,em São Paulo ou Rio por exemplo.Saludos,Isaac Carneiro Victal.

    ResponderExcluir
  2. Ola Isaac, é sempre bom receber comentários e se quiser escrever a respeito dessas regioes, seria bem legal. Escrevi sobre as que conheço, postaremos uma sequencia de regioes e efetivamente na ultima da série deixo claro que falo apenas das que conheço, o centro, oriente e o Sul eu nao tenho referencias pessoais, nao vivi e prefiro nao falar do que nao conheço, rs. O fato é que diariamente recebemos perguntas sobre essas regioes postadas, pois como deve saber é onde todo mundo sugere que as pessoas vao morar: Polanco, Santa Fé, Interlomas e Zona Esmeralda, como se nao houvesse outra opcao. Muitas pessoas tb tem perguntado sobre a regiao Norte, creio que deve estar ocorrendo um movimento em industrias daquela zona, por isso mesmo falei de lá também. A Ciudad de Mexico é enorme, nao conheço toda as Colonias, fique a vontade para comentar a respeito e enriquecer com mais informaçoes e opcoes para o pessoal que está chegando.

    ResponderExcluir
  3. Eu também não conheço essas regiões,estou preparando minha estadia no México e essas foram indicações de mexicanos que encontrei na internet,descobri muita coisa interessante.A minha réplica se deve ao fato de que Polanco e Santa Fé serem áreas de classe alta;em contrapartida,os indivíduos dessa classe social que conheço no Brasil ainda parecem alimentar aquele sonho de "fazer américa" ou de se mudar para as nações do chamado primeiro mundo,não considerando o México como opção para residência,talvez para turismo sim,mas existe um certo esnobismo entre pessoas ricas no Brasil que as leva a desconsiderar o México como opção,notei isso muito nas conversas que tive aqui no Brasil.Penso que a classe média brasileira estaria mais disposta e aberta a trocar o nosso país pela nação azteca,por isso mencionei esses bairros de classe média anteriormente;em relação aos bairros populares,acho que só os mais aventureiros se atreveriam a morar neles pois o choque cultural seria maior,além da segurança que deixa a desejar.A questão é que os depoimentos de mexicanos que encontrei ajudaram-me bastante a me orientar,descobri por exemplo que muitos mexicanos de fora da capital preferem morar em casas e nunca em apartamentos,só agora cidades como Monterrey,Puebla e Guadalajara estão se esforçando para perder um certo ar provinciano,fora da capital e regiões adjacentes,onde moram 20 por cento dos mexicanos,tudo é província para eles.Sou um rapaz efeminado e parece que só tem LGBT no Mexico na região metropolitana da capital,nas redes sociais achei muitos desde boys até travestis,passando até pelo meio termo,e todos estão num raio não muito distante da Cidade do México,achei o face de grupos de tudo emos ,"pokemones"(otakus)andróginos e afins,se reúnem no Monumento à Revolución,ou na Glorieta de Insurgentes perto da zona rosa,também na Alameda Central e à frente do Palácio de Bellas Artes(neste último lugar se vê todo tipo de gente)quando vi as fotos daquele gente loca reunida pensei:se fosse em São Paulo os neonazistas iam acabar com isso,já no Rio os arrastões...destes grupos alternativos uns poucos moram em Guadalajara,Toluca,Puebla mas parece que a questão do machismo é muito forte nas cidades menores.Noto que as regiões mais violentas desta nação,como Ciudad Juarez,também não são boas para as mulheres e minorias.Estou pensando em ficar num hostel por uns 15 dias na zona rosa,não são caras as tarifas,descobri que muitos mexicanos mais conservadores evitam essa área pois além de ser um gueto LGBT está cheia de sex shops,bares e boates que funcionam noite adentro,é a região boêmia da cidade.Também estou considerando o centro histórico para hospedagem,pois é uma região linda,o Zócalo por exemplo é uma das praças mais bonitas e imponentes do mundo certamente;quero ir a Puebla,Guadalajara e Monterrey também e conhecer os vulcões mas não estou com certeza de nada,prefiro ir para lá,sentir as impressões e aí sim decidir o que vou fazer,dependendo se me agradar posso variar o roteiro da aventura,quero conhecer bem o país primeiro para decidir quanto tempo desejo ficar nele e o que fazer.Estou procurando cultura também e adorei saber que existem muitos museus e apresentações musicais na cidade,de pop e latino até rock,jazz e música clássica .Obrigado por não censurarem nada,existem pessoas que não permitem a gente se manifestar,outro dia discuti com uma brasileira que mora no México,em Playa del Carmen,que só fazia arrasar o país nas impressões que publicava,questionei a razão dela morar num país onde ela via tanta coisa ruim e afirmei que a mesma parecia não estar adaptada ao lugar,provavelmete devido à preconceitos.Ela foi desonesta comigo pois só publicou parte da nossa discussão e ainda chamou amigas para corroborar o que dizia e a me tratarem com desdém,olhando de cima.Agradeço à deferência,Saludos,Isaac Carneiro Victal.

    ResponderExcluir